Paranaguá entra na era das boias articuladas para garantir maior segurança na aproximação dos navios conteneiros de grandes dimensões.

Um dos requisitos mais importantes para a segurança da navegação é a sinalização. A preparação de portos e hidrovias para recepção de novas e maiores embarcações traz a necessidade de ampliar e modernizar os atuais sistemas de localização náutica. Esse processo vem acompanhado de novas tecnologias que otimizam os equipamentos, tornando-os mais  eficientes.

No Porto de Paranaguá existe um obstáculo que limita a entrada dos navios, é a “Pedra da Palangana” que restringe o calado das grandes embarcações neste ponto, por isso a sinalização náutica é muito importante. Atualmente, com a chegada das boias articuladas, as manobras estão mais seguras.

Os fabricantes estão construindo equipamentos de sinalização com novas tecnologias e as boias articuladas, mais resistentes, mais flexíveis e mais leves, vêm substituindo as pesadas boias de estrutura metálica. A iluminação de leds, nas lanternas e faróis, trazem economia de energia e maior vida útil em relação aos modelos antigos, além disso, as lâmpadas compactas possuem maior luminosidade que, aliada aos painéis solares, garantem o funcionamento ininterrupto dos equipamentos.  As boias articuladas buscam resolver o posicionamento e a instalação desses equipamentos.

As boias articuladas combinam o peso com o empuxo do flutuante embaixo d’água solução para minimizar as dificuldades de instalação das boias. A boia é levada para o local e coloca-se ar comprimido para obter flutuabilidade alagando ou desalagando a boia na hora de fazer manutenção. Outra vantagem das boias articuladas é que elas possuem uma plataforma para colocação de medidores de correntes marítimas.

A boia articulada submergível é um fator que garante a segurança do tráfego aquaviário em portos de grande movimentação de navios.